04/09/2012

Apaixonar-me é que não

Há algum tempo atrás, verbalizei a minha intenção de me apaixonar. Não precisava de ser nada muito complicado ou exigente, só uma paixão que fosse bonita enquanto durasse. Assim aconteceu. Só não contava com que o veio depois.

Agora quero tudo menos apaixonar-me. Não quero que o meu tempo dependa do tempo de um homem, nem que a minha boa disposição se meça pelo retorno que ele me dá. Não quero. Quero, e preciso de manter, esta tranquilidade que espera por qualquer coisa que não sei bem o que é, mas sei estar mesmo ao virar da esquina, prestes a acontecer.

Não quero, por isso, apaixonar-me. Mesmo que, a longo prazo, eu não consiga ser a única coisa que sempre soube que iria ser: mãe. Lembro-me bem do dia em que decidi que, quando fosse grande, ia ser mãe de profissão. Não queria ser rica, nem famosa, nem bem-sucedida num trabalho, apenas mãe. Tinha 3 anos e um bebé careca com metade do meu tamanho.

Por esta altura, pensava já ter uma prole considerável. A minha mãe teve o quarto filho com a minha idade. Se ela conseguiu, então eu também conseguiria. Não consegui. As pessoas simpáticas que conheço lembram-me que estou a ficar velha. Estarei.

Ainda assim, não me quero apaixonar. Não sou a salvadora de pátria alguma. Estou cansada de pessoas mal-resolvidas, de paredes que nunca estão acabadas, da penosa tarefa de pintar a tinta que alguém descascou. Resolvam-se. Cresçam.

Eu fiz o mesmo. Agora sou só eu. Cupido, vai-te embora, a tua pontaria é uma treta. Se voltas aqui, levas chumbo no rabo, em vez de setas na aljava.

22 comentários:

  1. Não vejo bem as teclas para escrever.
    Mas tenho cá uma sensação de que ->serás<- uma belíssima mãe!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei a pensar na ligação estranha entre não veres bem as teclas e eu ser uma boa mãe. Vou pensar mais um bocadinho. lol
      ;)

      Eliminar
    2. Se ficas-te a pensar é porque chegas-te lá :)

      Eliminar
  2. Podes sempre ser mãe sem ser preciso apaixonares-te ou teres que aturar um homem. Nessas cosas, acho que o relógio biológico ( trata-se de uma coisa que li algures que as mulheres têm) é que manda. Se ainda não tocou o despertador...

    (parece que hoje é o dia dos rabos)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dia dos rabos? Oh boy, se calhar devia ter posto uma foto do meu. Já foi gabado, podia ser que me conseguisse um pai para os netos da minha mãe. :D E daí é melhor não. lol

      O meu relógio já despertou há uns 4 anos, apitou com tanta força e estridência que quase me deixou surda. Levou uma valente martelada e ficou moribundo, roufenho, tadito, a dar-me o merecido descanso.

      Ser mãe de uma criança sem pai presente? Nah, sou à moda antiga, o que eu quero mesmo é um homem em casa a sujar-me tudo, lavar-lhe os boxers, passar-lhe as camisas e limpar o ranho aos putos. :D

      Eliminar
    2. Dia dos rabos?!?!?! looooool

      Eliminar
  3. O que vale é que sei que são só só palavras.
    Porque a vida sem paixão não é vida.
    Se alguma coisa aprendi até agora foi isso. Já não é mau.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada mau mesmo. :) Sei que tens razão, porém, de momento não quero. Estou de baixa emocional e com pouca paciência para coisas que não se sabe bem o que são.

      Se algum dia alguém me fizer refazer este post será bem-vindo e eu terei todo o gosto em dar o dito pelo não dito.

      Eliminar
  4. Ia comentar um comentário aí de cima, mas depois lembrei-me que não devo responder a quem não me tenha perguntado nada :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LOL
      Não sejas assim, de certeza ninguém te levaria a mal. Este espaço quer-se de partilha e interação entre todos. :)

      Eliminar
  5. Isto tem uma fonte estranha :D, os dois pontinhos ficam descaídos, e eu que gosto de coisa centradinhas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os dois pontinhos estão descaídos, para nos lembrar que todos, mais cedo ou mais tarde, vamos sofrer a lei da gravidade. :D Têm, por isso, tudo a ver com a dona deste espaço. looool

      Eliminar
  6. Nem sempre as coisas correm bem... e depois ficamos com medo de nos metermos noutra alhada... boa sorte para ti ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não é bem medo, é mesmo falta de paciência. Os homens de hoje não se podem aturar, parecem umas prime donne. :/

      Eliminar
  7. Sabes, acho que é quando encontramos essa tranquilidade de que falas que mais preparados estamos para uma relação. Significa que estamos bem sozinhos e não dependemos de ninguém para a nossa felicidade. E por isso quando o cupido vier fazer das suas, só pode ser para aumentar essa felicidade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou esperar por ele com carinho, pode ser que daqui a uns tempos já lhe acho mais piada. ;)

      Eliminar
  8. Parece-me que a vontade de ser mãe já está bem presente.
    No entanto o Cupido (aquele filho da p%$$#) vem sempre quando não se está à espera.
    Portanto relaxa e passa bem o tempo, qualquer dia estás aqui com post's lamechas :P

    (continuo sem perceber porque é que é dia dos rabos lool), ok vou dormir*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu quero é escrever aqui um email histérico (ou dois), por outros motivos que são mais importantes de momento. :D Depois, venha a lamechice toda do mundo que eu aguento. :)

      (eu também ainda não percebi lol)

      Eliminar
  9. As coisas boas surgem quando se está distraído, dizem...
    Ou bem que não te distrais nunca ou então corre-se sempre esse risco, de se encontrar algo bom, por aí, ao virar de uma esquina ou até numa via recta. Vá-se lá saber :)
    Desejo-te isso tudo, em muito bom! :)
    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. http://www.citador.pt/textos/e-preciso-procurar-uma-so-coisa-para-encontrar-muitas-cesare-pavese

      :)

      Eliminar
    2. Eu sei lá! (e de repente a minha mente é toda ela uma música pimba!) Só sei que já procurei e não achei, procurei e achei e achei sem procurar. A ver se da próxima a surpresa é o elemento... surpresa. :)

      Eliminar