24/09/2012

Correspondência Íntima - I


Andei a mexer mais um pouco nos textos que te mandei, principalmente nos últimos três. É preciso dar-lhes profundidade. Se bem que eu estou a um passo de os destruir, estou cansada daquela prosa. Ainda dói muito voltar ali, é como se as feridas fossem abertas outra vez e esfregadas com sal. Ao mesmo tempo é como se já não me pertencessem e eu não me revisse naquilo. Faz sentido? 

9 comentários:

  1. Faz... Acabo de ter precisamente essa sensação...

    ResponderEliminar
  2. Vê-se o que se quer ver. E a gente quer sempre tudo. Incluindo o seu contrário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste caso, quem lê que veja. Eu sei do que escrevo. ;)

      Eliminar
    2. Tás muito assertiva hoje, rapariga! :)

      Eliminar
    3. Ando sempre assim (mentira, hoje estou um bocadito mais sorumbática).

      Eliminar
  3. tb acho. É da chuva, que hj tb chegou aqui á capital do império

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu estou em alerta laranja. :S O meu cabelo quase foi pelo ar quando fui à rua e a minha sorte foi ter ido de saia, assim enxugaram as pernas.

      Eliminar
  4. Faz todo o sentido. Escreveste tudo isso numa determinada fase da tua vida, com a qual já não te identificas. E se te abre feridas antigas, é normal que queiras destruir o que te magoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas depois fico a pensar se não é egoísmo a mais e se não deveria preservar esses textos exatmente para não esquecer essa determinada fase da minha vida.
      E voltamos ao isto ou aquilo... :/

      Eliminar